Quem sou eu

Minha foto
Artista visual, arteira desde sempre. Amo moda, fotografia, desenho, teatro, dança. E mais tantas outras coisas, mas...Acima de tudo, amo a liberdade de ser eu mesma!!!!!

Oi, meu nome é Daniela Karg, bem vindos ao meu blog!

Reunindo minhas linguagens, que transitam pela moda, maquiagem, teatro, fotografia, dança e artes visuais, criei a Alma de Boneca!

Confecciono bonecas, acessórios e fantasias exclusivas, combinando minhas técnicas e elementos vindos de histórias (contadas por quem as encomenda e minha imaginação).

Conheça meu trabalho e fique à vontade, entre contos, sonhos e poesias que costuro em minha ALMA!

APRECIADORES

domingo, 28 de novembro de 2010

Baú de maravilhas parte XI


Relatório de aula: 29/10/09
Deleite!

Assistir às projeções desta última aula não teria sentido no início das mesmas, com certeza veríamos com certa indiferença as variadas formas de desenho, e as formas de vê-los!
Muitas questões chamaram a atenção. A forma dos corpos no renascimento, tão modificados pelas vestimentas-cárceres.
Achei graça de todos os fiéis que adoraram imagens produzidas a partir de estudos de feitos com corpos de cortesãs e defuntos dissecados!
Continuo achando o Botticelli genial, por dar leveza e beleza a corpos tão tortos, não seria ele um moderno nos tempos da Renascença? Talvez se o tema está de acordo com a sociedade vigente, pouca importa o que as pessoas vêem, porque o modo de ver muda...
Amei ver um desenho do Toulouse Lautrec retratando a Sarah Bernhardt no palco, diva do Art Nouveau.
Quanto ao prefácio lido, escrito por Robert Beverly Hale, discordo totalmente. Penso que, se o professor de artes é um bom professor, ele realmente ajudará apenas nas resoluções de questões técnicas...Um professor mediano, nem isso fará, quem sabe um nó em nossas idéias poderá dar..
Mas um ótimo professor de artes, com certeza vai além das questões técnicas em nossas produções visuais. Ele abre caminhos para pesquisas e interpretações, leituras, filmes, discussões, exercícios, enfim, uma infinidade de possibilidades de resolver e criar  questões. Não apenas de ordem “técnica”, mas de ordem emocional, estética, histórica, psicológica, pessoal mesmo.
Quando o professor não “mexe” com o aluno, o aluno não se mexe. Falo aqui de uma atividade mental!
Segundo Edgar Degas, a arte é o domínio da dor pela beleza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário