Quem sou eu

Minha foto
Artista visual, arteira desde sempre. Amo moda, fotografia, desenho, teatro, dança. E mais tantas outras coisas, mas...Acima de tudo, amo a liberdade de ser eu mesma!!!!!

Oi, meu nome é Daniela Karg, bem vindos ao meu blog!

Reunindo minhas linguagens, que transitam pela moda, maquiagem, teatro, fotografia, dança e artes visuais, criei a Alma de Boneca!

Confecciono bonecas, acessórios e fantasias exclusivas, combinando minhas técnicas e elementos vindos de histórias (contadas por quem as encomenda e minha imaginação).

Conheça meu trabalho e fique à vontade, entre contos, sonhos e poesias que costuro em minha ALMA!

APRECIADORES

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Comunidade Wanderlust

Fiquei muito feliz com o belo casamento de imagem e texto que a nossa querida Gisela Britto postou em sua comunidade: http://www.facebook.com/Wanderlust.Community
no álbum dedicado ao artista John William Waterhouse.
Tomei a liberdade de compartilhá-lo aqui no Aurora, como apaixonada que sou pela obra de Waterhouse, especialmente pela imagem (Minha doce Rosa) que nunca canso de observar.
São pequenos e delicados momentos do dia como esse, em que descansar o olhar naquilo que parece sempre o mesmo, se mostra renovado de possibilidades.
E para quem ainda não me conhece, agora sabe, que essa é pintura da mulher dos meus sonhos!
Abraços, até o próximo post!
 
És linda. E nem sabes quantos pedaços de beleza tive de juntar para chegar a esta conclusão.

Para te construir, tive de misturar a conspiração das searas com a tristeza do choupo, a inquietação da cotovia com o cheiro lavado do vento do ocidente. E a firmeza repartida dos livros, com a alegria explosiva dos miosótis e a luz escura das violetas. Juntei depois um pouco de ansiedade das estrelas, a
paciência das casas à beira da falésia, a espuma da terra, o respirar do sul, as perguntas de gesso que se fazem à lua.
Acrescentei-lhe a canção das margens e pequenos pedaços da angústia do olhar. Não esqueci a intimidade do frio nem a dor branca que habita o coração dos muros.

Por fim, deitei na tua pele o sono dos alperces, aos teus músculos prometi a violência das cascatas, no teu sexo acordei a memória do universo.

A tua beleza está no meu desejo, nos meus olhos, na minha desigual maneira de te amar. És linda, repito. Mas tenta não encarar o que te digo como um elogio.

[Joaquim Pessoa, in 'Ano Comum' ]


Nenhum comentário:

Postar um comentário